Glass facade made with SCHOTT NARIMA® at Carnegie Mellon University, Pittsburg, Pennsylvania, USA

Carnegie Mellon University

Os edifícios universitários não apenas precisam oferecer um ambiente ideal para o aprendizado, mas também uma arquitetura que reflita a pesquisa vital que ocorre em seu interior. O uso do SCHOTT NARIMA® na Carnegie Mellon University resultou em uma experiência visual deslumbrante e em uma solução de sustentabilidade premiada.

Histórico

Localizado no campus da Carnegie Mellon University em Pittsburgh, Pensilvânia, o Scott Hall foi inaugurado no primeiro semestre de 2016. A universidade contratou os arquitetos Michelle LaFoe e Isaac Campbell, juntamente com sua equipe de design OFFICE 52 Architecture, para projetar o prédio de nanociência, biociências e tecnologias de energia da faculdade de engenharia. Os arquitetos foram instruídos a incorporar a cultura interdisciplinar da Carnegie Mellon para criar um centro de pesquisa colaborativo e progressivo na vanguarda da nanotecnologia avançada e dos complexos sistemas de engenharia.
Foto externa do Scott Hall na Carnegie Mellon University em Pittsburgh, Pensilvânia, EUA

Tarefa

Os arquitetos receberam instruções para projetar um edifício emblemático de alta tecnologia e com baixo consumo de energia, com uma estrutura externa e aparência que capturassem o trabalho científico realizado dentro de seus laboratórios. Os objetivos rigorosos de sustentabilidade e economia de energia da universidade foram particularmente importantes. Uma série de estudos sobre energia solar, análise de conforto térmico e modelagem de energia exigiam um arranjo ideal dos elementos da fachada.

A solução

Após uma série de estudos sobre luz e cor com o vidro SCHOTT NARIMA®, os arquitetos escolheram o SCHOTT NARIMA® Orange com um reflexo azul-prateado para as ripas verticais de proteção solar e o SCHOTT NARIMA® Blue-Gold para as ripas horizontais. O uso do exclusivo vidro dicroico da SCHOTT não apenas dá à construção uma profundidade visual impressionante e padrões de cores que mudam constantemente, como também é um elemento-chave em uma solução arquitetônica que excede as metas de desempenho energético para criar um dos mais eficientes edifícios de laboratório nos EUA.
View from underneath the SCHOTT NARIMA®
1/3

O vidro dicroico SCHOTT NARIMA® foi usado para trazer profundidade visual e mudanças de cor fascinantes

Front-on view of the SCHOTT NARIMA® glass facade of Scott Hall at Carnegie Mellon University
2/3

A cor do SCHOTT NARIMA® muda dependendo da posição do espectador e da intensidade da luz solar incidente

SCHOTT NARIMA® glass facade of Scott Hall at Carnegie Mellon University
3/3

Os arquitetos também escolheram o vidro SCHOTT NARIMA® por sua resistência, estabilidade à radiação UV e resistência térmica

Vidro com o poder de inspirar

O SCHOTT NARIMA® oferece a arquitetos e designers um efeito visual único, refletindo algumas cores e permitindo, ao mesmo tempo, a entrada de outras. As cores mudam dependendo da posição do espectador, da intensidade e da posição da luz solar, para criar exteriores que fascinam e encantam. Um benefício adicional para muitos edifícios, como o Scott Hall, é que a deslumbrante exibição das cores evita que pássaros batam acidentalmente no vidro.
Michelle LaFoe, OFFICE 52 Architecture
Uma das coisas realmente empolgante nesse projeto foi a possibilidade de usar a arquitetura para unir elementos do interior do edifício por meio de técnicas inovadoras de fabricação de vidro. Nós concebemos uma divisória que metaforicamente incorpora conceitos de nanociência, escala, fótons e luz, fazendo os espaços interior e exterior do Scott Hall brilharem com luminosidade.

Unindo ciência e arquitetura

Juntamente com a transmitância e reflexão de luz que contribui para a eficiência energética do edifício, o uso do SCHOTT NARIMA® atende às instruções originais da universidade que dizia “unir metaforicamente os conceitos de nanociência, escala e fótons à arquitetura”. O uso do vidro dicroico resultou na construção semelhante a uma representação geométrica de uma estrutura fotônica quase cristalina – um material óptico fundamental usado na nanociência.
Moritz Busch, gerente de vendas de vidros processados da SCHOTT
Juntamente com os arquitetos, implementamos um projeto único, no qual o SCHOTT NARIMA® se tornou o centro absoluto das atenções.

Materiais usados e produtos semelhantes

O vidro dicroico SCHOTT NARIMA® oferece a opção de seis cores diferentes, cada uma com seu visual marcante e arrojado. Com revestimento por imersão e não por película, o vidro é mais duro, oferece mais estabilidade à luz UV, é resistente a arranhões e menos vulnerável à umidade, além de ser térmica e quimicamente resistente.

Michelle LaFoe e Isaac Campbell, OFFICE 52 Architecture
OFFICE 52 Architecture
Ao adicionar materiais que refletem e transmitem luz e cor, transformamos o edifício em uma interação dinâmica de cores e texturas inspiradas na nanotecnologia que mudam ao longo do dia, dependendo do ângulo da luz solar que incide sobre o vidro e a posição do observador. É um encontro transformador de forma de material e inovação científica com uma missão ambientalmente consciente e inseparável de inspirar quem está em seu interior.

Uma equipe premiada

Para o projeto da Carnegie Mellon University, a SCHOTT se juntou aos arquitetos Michelle LaFoe e Isaac Campbell, e sua equipe OFFICE 52 Architecture localizada em Portland, Oregon. A estrutura resultante ganhou uma série de prêmios, incluindo o American Architecture Award e o International Architecture Award.

Vidro feito pela
SCHOTT

Architects
OFFICE 52

Quer saber mais? Vamos conversar

Caso precise de mais informações, amostras, um orçamento ou orientações para um projeto, teremos o maior prazer em falar com você.

Contate-nos
Man in glasses in business office on phone while working on laptop_605x350.jpg